OÁSIS

Rabiscos, frases soltas, pensamentos, ideias, aqui encontrarão tudo. Que este local seja um óasis para todos os que passarem por aqui

Nome:
Localização: Lisboa, Lisboa, Portugal

Sou acima de tudo uma pessoa tolerante

2005-09-30

SEM TÍTULO

Hoje e pela primeira e última vez na história deste blog, este post vai sem títuloe sem imagem porque por mais que pense não há título nem imagem que defina aquilo que vou escrever.
Há 4 anos atrás passei pelo dia mais triste da minha vida, era Domingo, acordei por volta das 10 horas e estive em amena cavaqueira com o meu marido antes de nos levantarmos pois estávamos a viver momentos de grande felicidade com a minha garvidez (estava grávida de 24/25 semanas de uma menina, o nosso sonho!!).
Levantámo-nos por volta das 10.15 e lá fui eu à casa de banho como é hábito (hábito esse muito mais normal numa mulher grávida!!).
Foi aí que tudo começou...tinha perdido um pouco de sangue e entrei literalmente em pânico (eu que sou uma pessoa calma, estranhei muito esta atitude), chorei, pensei no pior e depois de o meu marido me acalmar lá liguei à minha irmã a contar o sucedido...não conseguiu disfarçar a sua preocupação....fomos rapidamente para o Hospital de Santa Maria onde fui atendida imediatamente...
Fui recebida por um médico espectacular que analisou o sangue perdido e me disse que provavelmente não era nada de grave apenas um “descolamento” da placenta, mas que iamos fazer uma ecografia para tirarmos todas as dúvidas...
Assim que começou a ecografia o médico desviou imediatamente o écran para eu não conseguir vêr!
Perguntei incrédula se havia algum problema ...fez-me uma festinha na face e disse que ia chamar mais 4 colegas dele para analisar a situação...senti-me a desfalecer...passava-se algo de muito grave e eu não sabia o que era!
Passados 3 minutos estava rodeada de médicos que não paravam de falar entre eles com um nervosismo incontrolável...eu que não conheço siglas médicas oiço “não consigo ouvir os BC não há dúvidas ...estamos perante um FM!!!”
A minha cabeça traduziu imediatamente a dura realidade...
“Não consigo ouvir os Batimentos Cardiacos não há dúvidas ...estamos perante um Feto Morto!!!”
Começei a chorar, sabia que já não havia nada a fazer, acalmaram-me dentro dos possíveis e perguntaram-me se queria ser eu a dizer ao meu marido ou se queria que fossem eles...apenas disse que não tinha coragem para lhe dizer, afinal tinha ficado logo grávida no mês a seguir a deixar de tomar a pílula e os primeiros 3 meses onde é “normal” ocorrerem abortos espontâneos há muito que tinha passado...a nossa menina não podia ter morrido...nada justificava isto!!
Foi o nosso mundo que desmoronou, nada do que me disseram tinha importância porque numa altura destas não queremos ouvir nada e nada nos faz atenuar esta dor...
Fiz parto normal para que no meu corpo não ficasse nenhuma marca fisica (foi a explicação que me deram) mas as marcas psicológicas essa ficaram e vão ficar para sempre...
O trabalho de parto foi doloroso porque afinal foi um lutar sozinha, sem forças, sem vontade de ali estar, sem nada...quando a minha menina nasceu...tentei olhar para ela mas a médica disse-me...”não vai vêr..é melhor assim...” Apenas me confirmou que era uma menina e fisicamente era perfeitinha...
Nestes dias que eu defino como os piores da minha vida tive a sorte de ter ao meu lado sempre o meu marido...sei que foi muito complicado para ele, pois além de ter perdido uma filha o meu estado de apatia era realmente preocupante. Duas horas antes de terminarar o trabalho de parto deixaram entar a minha melhor amiga ...ficaram os dois comigo até ao momento da expulsão do feto...foi muito bom ter a presença deles perto de mim num momento tão dificil!
Antes de sair do hospital tive em recuperação num quarto sózinha (toda a euipa foi muito atenciosa e fez questão de me acompanhar)...mas conseguia vêr passar as mamãs super felizes com os seus bébés e eu ali sem a minha mais que tudo...o vazio consumiu-me...e uma parte de mim morreu para sempre...
Saber que a conclusão da autópsia foi que estava tudo bem com a minha menina e com a placenta por isso não encontraram justificação para este desfecho...não ajudou em nada...preferia que tivesse um problema especifico ao qual eu me iria agarrar para ganhar forças...
Este ano é a primeira vez que vivo esta altura de forma mais calma e passiva, porque resolvi que teria de ser assim, partilhar convosco esta dor também me ajudou e ponderei muito se o fazia ou não...Fi-lo porque quero transmitir a todos os que andam atrás de um sonho que esperar é uma virtude, é preferível esperar e alcançar que perder tudo da forma que eu vivi...Sei que estas palavras vão tocar de forma diferente a quem viveu este drama e é a estas pessoa que quero dizer que apesar de tudo a vida não acaba aqui...hoje tenho uma filhota linda com 2 anos que é tudo para mim...temos de acreditar que é possivel sermos felizes outra vez mesmo que essa felicidade nos pareça impossível...
Aprender a lidar com esta situação é talvez o mais complicado de tudo mas eu finalmente aprendi a fazê-lo...
Beijinhos a todos e porque hoje resolvi partilhar um pouco de mim...do mais intímo do meu ser aqui vos deixo também o meu verdadeiro nome...
Sandra (kikas)

64 Comments:

oasis Blogger Costinhas said...

Minha querida amiga,

Sei bem o que significou para ti escreveres estas palavras. Já te disse que conseguiste humedecer-me os olhos (e sabes que isso é quase impossível).

Acho que este texto, serve principalmente para ti. Para exorcisares este momento que chegou de forma tão cruel.

Só espero nunca saber aquilo que tu sentiste, e só espero que um dia tenhas mais um motivo lindo nos braços para seres ainda mais feliz...

Um grande beijinho
Sandra

11:13 da manhã  
oasis Blogger Eva Lima said...

Entendo-te demaiado bem. Perdi uma bébé com 8 meses, há cinco anos, e ainda não consigo expressar a dor. Exorcisar a perda.

Um beijo

11:29 da manhã  
oasis Blogger Pat said...

Acho que nada devo dizer...mas quis deixar a minha «marca» para saberes que li e tremi...Beijos garndes

11:38 da manhã  
oasis Blogger Raquel said...

É a minha primeira vez no teu blog...
É um assunto muito pessoal e delicado.
Admiro que o tenhas partilhado, porque afinal não é assim tão incomum acontecer...e provavelmente muitas famílias (principalmente a mãe q passa por tudo) vivem com esta dor fechada dentro do peito muito tempo.
Vivi de perto uma situação idêntica e sei que deixa marcas profundas.
Foi importante pra mim...ler este post...
Um beijo grande para todos

11:58 da manhã  
oasis Blogger Anna^ said...

Sandra,
estou sem palavras:pelo teu sofrimento...pela tua humildade e sobretudo pela tua coragem!
Um beijinho enorme de admiração !!

12:04 da tarde  
oasis Blogger Ana Luísa said...

Olá Kikas. Nunca estive grávida nem tentei estar mas acredita que me emocionei muito quando li o teu 'desabafo'...
Não posso imaginar a tua dor e o sofrimento mas calculo que tenham sido demasiado dolorosos... Mas como dizes, há que ter "paciência". TIveste pessoas maravilhosas ao pé de ti e hoje tens a tua filhota e são felizes :)
Obrigado pela partilha...
Bom fim-de-semana.
Bjkas

12:18 da tarde  
oasis Blogger carla said...

Sandra

Não sei o que dizer...mas noto que és uma mulher de coragem e obrigada por nos teres contado um pouco da tua história.

Bjs

12:20 da tarde  
oasis Blogger Xuinha Foguetão said...

Sandra,

estou sem palavras.

Sei uma coisa, sem te conhecer pessoalmente já te admiro muito.

Muitas felicidades para vocês e um beijinho especial para a tua filhota que eu sei que tem um nome lindo! ;)

Bom fim-de-semana.

12:23 da tarde  
oasis Blogger Gina said...

Olá!
Vim aqui através da Costinhas e fiquei completamente apática! Nem quero pensar que isso um dia me possa acontecer...
Mas fiquei muito tempo parada na frase em que dizes que quem anda a tentar deve saber esperar, e isso mexeu muito comigo, pois eu ando a tentar há dois meses e estou sempre a pensar quando é que vou conseguir... por momentos, senti-me de certa forma egoísta... Obrigada por me teres feito ver a realidade das coisas!
Um grande beijinho para ti!

12:25 da tarde  
oasis Blogger Margarida said...

Olá

Sou mãe de duas meninas, não consigo sequer imaginar o que deves ter sentido, porque acho que só quem passa uma situação o sabe.
Espero que sejas muito, muito feliz com a tua princesa e que consigas atenuar a dor que ainda sentes.

bjs

12:37 da tarde  
oasis Anonymous Ritisabel said...

Minha querida, as tuas palavras comoveram-me muito, correu uma lagrimita pela minha face. Deve ter sido um grande sofrimento, inexplicável, não tenho palavras! É bom colocares para fora o que sentes, também é preciso ter muita coragem. Um beijinho muito grande para voces e sejam muito felizes...

12:41 da tarde  
oasis Blogger AnaBond said...

Vivi um pouco este teu pesadelo, e sem ser das tuas melhores amigas, penso que sabes o quanto me tocou a tua história. E continua a tocar, todos os dias, principalmente quando de vez em quando me lembro disso.

O que conheço de ti sei que tens uma força interior enorme, tens uma alegria de viver invejável (no bom sentido), e olho para ti com uma admiração que nunca irás saber...

Por tudo o que sei, por tudo o que és, por tudo o que conheço de ti... deixo-te aqui publicamente as minhas palavras de admiração e de amizade.

Um beijo do fundo do coração...

2:11 da tarde  
oasis Blogger mamã Diana said...

Acho que nestas alturas nunca encontramos as melhores palavras para expressar o que nos vai na alma. Também me emocionei e nem sei o que sentiria se passasse pelo mesmo que tu.

Afinal, a gravidez são 9 meses de alegria e felicidade, mas também de alguma angústia. E talvez a verdadeira felicidade só apareça quando temos o nosso bebé nos braços, quando a luta dos 9 meses chega ao fim e uma nova começa...

O único desejo que aqui deixo é que sejas feliz, muito feliz e que o passado te torne mais forte.

Beijinhos grandes.

2:41 da tarde  
oasis Blogger Estrela do mar said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

2:55 da tarde  
oasis Anonymous Andreia said...

Não sei muito o que dizer, mas ao ler este texto não podia ficar indiferente.
Chorei e emocionei-me. Não imagino o que seja passar por isso, e não sei se conseguiria ter forças para ultrapassar tamanha dor.
Só posso admirar-te por teres conseguido partilhá-lo connosco, que imagino não ter sido fácil.
Que a vida só te reserve momentos bons e felizes.
És sem dúvida uma mulher de coragem...
Um beijinho

2:56 da tarde  
oasis Blogger Estrela do mar said...

...Sandra...minha querida como deve ter sido doloroso...nem imagino...as tuas palavras comoveram-me e muito...olha...e agora desejo-te tanta felicidade como para mim...com o teu marido e com a tua princesa...

Ainda bem que partilhaste isto connosco, eu sabia que havia qualquer coisa sobre bebés, porque um dia num post teu, referiste-te à tua menina e disseste que qualquer dia contavas uma coisa. Mas nunca pensei que fosse isto. Continua a ter muita força Sandra (minha homónima).

Beijinhos querida.

2:57 da tarde  
oasis Blogger ... said...

Kikas,

Cheguei aqui através da Sandra (Costinhas). Li o texto todo e chorei mesmo, principalmente quando cheguei à parte em que falaste da tua filhota de dois anos. Enquanto estava a ler o texto só pensava: "Deus queira que eles tenham tido outro filho depois". Desculpa dizer isto, mas foi isso mesmo que senti: "Deus queira que eles tenham sido felizes outra vez...". É impossível ficar indiferente à tua história, como é impossível ficar indiferente ao facto de a teres partihado.

A partir de hoje, vou lembrar-me sempre de ti.

Mocas

3:06 da tarde  
oasis Blogger Célia Kuesters said...

Sandra,

Apenas te quero dar um grande beijinho e dizer que essa estrelinha estará sempre presente no teu ceu...
Um grande beijo

3:06 da tarde  
oasis Blogger Margarida Atheling said...

Sandra recebe um beijinho muito grande de alguém que sabe muito bem do que estás a falar.
Mas sabes? Acho que partilhar estas coisas ajuda. Pelo menos é a minha opinião.
Ajuda a integrar estes acontecimentos na nossa vida.
Porque esquecer é impossível e seria até injusto: essas crianças exitiram e, seja como for, estarão sempre connosco!

Muitos beijinhos e grande abraço!

3:39 da tarde  
oasis Blogger Ana Sousa said...

Nem sei que diga.... um Grd beijinho...

3:52 da tarde  
oasis Blogger Mãe Pipoca said...

Olá, cheguei aqui pela Costinhas. Apenas imagino o que tenhas passado, neste momento acompanho a minha prima A. que passou exactamente pela mesma situação (com 21 semanas de gestação) há cerca de 3 semanas. Também no caso dela nada fazia prever este desfecho e não sabem explicar porquê.
Bjs e muita força

4:02 da tarde  
oasis Blogger lita e as suas paixoes said...

É a minha primeira vez no teu blog...
estou sem palavras...tou gravida neste momento e so te posso dizer q tou farta de chorar...,muita força..."como a celia diz a estrelinha ta no ceu a olhar por ti...."
beijinhos

4:03 da tarde  
oasis Anonymous Anónimo said...

minha querida,

apenas te posso dizer que tou a chorar convulsivamente, pois passei pelo mesmo que tu, perdi os meus bébés...os meus amores às 20 semanas...perdi o meu marido...perdi tudo...ainda não me encontrei...No meio de tanto desespero e desnorte, acredito que vida não pode ser tão cruel.
Todos os dias olho para o céu estrelado, para a lua e falo com eles dizendo-lhe que a mãe aqui em baixo os ama para sempre...Peço-lhes que me ajudem a ser feliz outra vez...
Um beijo muito forte para ti e tua familia linda.Coragem e felicidades.
Joaninha

4:08 da tarde  
oasis Blogger smartins said...

Olá Sandra,
Vim aqui parar para agradecer a visita, mas deparei com esta partilha tão intima de uma dor absolutamente inexplicavel e contudo ninguém que a leia pode ficar indiferente.
Os filhos são o nosso «bem» mais precioso e percebo a tua dor.
Um beijinho. Vou voltar.

4:08 da tarde  
oasis Anonymous Sandra said...

Ler este texto foi como se estivesse a viver toda uma experiência de novo e a pensar que estas palavras poderiam ser as minhas. Vivi, há seis anos um momento em tudo semelhante. É incrível como há tanta gente que passa pelo mesmo e nós não sabemos ou não damos a devida atenção. A minha terapia foi sempre falar abertamente de como perdi a minha filhota tb com 5 meses de gravidez. Foi uma forma de exorcixar um fantasma que calado se tornaria uma angustia e um tormento. Hoje tenho um filhote com 5 anos e uma princesa com 19 meses, eles tb ajudam bastante a tornar mais fácil um sentimento de perda que na altura me parecia impossível de ultrapassar. É a primeira vez que deixo um comentário num blog, mas não podia deixar passar esta oportunidade e dar um grande beijinho a alguém que como eu e como tantas mães, já sentiu na pele o que é perder um filho, mesmo ainda por nascer.

4:14 da tarde  
oasis Blogger Mamã Babada said...

Oi!
Estou sem palavras.
Deixo-te ficar 1 grande beijinho!

Mamã Babada

4:30 da tarde  
oasis Blogger Dumb said...

Aconteceu-"me" o mesmo. Mas era um irmão. Entendo o k sentes.

Beijo

5:17 da tarde  
oasis Blogger Ana said...

sandra..

não conheci o teu blog..vim aqui por intermedio da costinhas..e tenho mta pena de n conhecer o teu blog antes.!
pelo qque li ..ês uma pessoa fantastica..e com uma coragem enorme para vires aqui contar um segredo tão intimo...
PARABENS pela pessoa que ês!

beijinhos grandes,

ana e susaninha(2 anos lindos)

5:36 da tarde  
oasis Blogger Sara MM said...

Ai linda... quem diria? Os blogs realmente não deixam passar tudo de nós, só quando queremos... maa fizéste bem em querer... De certeza que te fez bem... E a mim, por muito que tenha ficado triste ao ler a tua história, muito me tranquilizáste por teres agora a tua menina de 2 anos! Que bom!!
Os problemas realmente nunca são iguais para todos... espero bem poder em breve contar o meu final feliz... porque o nome verdadeiro já sabem :o)
BJs Gds Gds Gds!

7:47 da tarde  
oasis Blogger nelsonmateus said...

não sou adepto dos bjos, bjinhos e bjocas ... mas hoje gostava d fazer 1 excepção.

1 abraço e 1 bjinho grande!

9:12 da tarde  
oasis Blogger Mãezite said...

Não sei que diga. Acho que não há palavras para estas coisas. O meu coração está apertadinho...

Beijo do tamanho do mundo

9:39 da tarde  
oasis Blogger Vilma said...

Sandra: nem tenho palavras. Apenas pra dizer que te admiro muito pela tua força, a tua coragem a tua fé! Sem dúvida alguma, que tudo isso serviu para algo na tua vida. Um grande abraço por partilhares algo tão intimo, doloroso mas ao mesmo tempo, tão confortante!

9:43 da tarde  
oasis Blogger Maria said...

Sem saber o que dizer deixo aqui um enorme beijo e as maiores felicidades

9:58 da tarde  
oasis Blogger Marta said...

és uma grande mulher com muita força. um bj grande***

11:24 da tarde  
oasis Blogger Sofia said...

Não consigo ima ginar o que sentes, mas foi importante para mim ler este post! Obrigada
bjs

11:26 da tarde  
oasis Blogger voudaquiparaali said...

Ainda no outro dia ouvi na SIC a propósito de uma reportagem que fizeram que a morte de um filho é o pior sentimento que um ser humano pode sentir. É das coisas que mais tenho medo na vida...nunca sabemos o que a vida nos reserva.Um grande abraço

12:45 da manhã  
oasis Blogger SusanaMama said...

Não consigo imaginar a tua dor...
Semrpe gostei de ler o teu blog, pois transmites esperança e acho que demonstras ter uma grande maneira de viver. Parabéns por seres assim, e pela força que transmites.

Um bj grande
Susana

1:17 da manhã  
oasis Blogger mamã Xana said...

Realmente o dia 30 de Setembro de 2001 foi um dia miserável. Tu perdes-te a tua filha eu perdi a minha mãe...

Tive uma gravidez que perdi às 10 semanas e até hoje a lembrança daqueles dias me amargura.

A minha filhota, tal como de certeza a tua, ajuda-me todos os dias a esquecer os momentos tristes e a pensar que apesar de às vezes não parecer, há sempre no horizonte a promessa de momentos felizes.

Muitos Beijinhos!

11:17 da manhã  
oasis Blogger Mikas said...

Fiquei arrepiada so de ler o texto.
És verdadeiramente uma mulher de coragem.
Beijinhos, Andreia.

1:50 da tarde  
oasis Blogger Mamuska said...

Confesso que me estão a cair as lágrimas...
Só consigo deixar um grande beijo neste momento...

1:57 da tarde  
oasis Blogger dia-a-dia said...

Acredita, eu entendo e sei bem porque te admiro.

Sílvia

3:12 da tarde  
oasis Blogger Oumun said...

Um beijinho grande para ti

4:12 da tarde  
oasis Blogger a mãe dos miúdos said...

num beijo para ti.
de tudo o que te queria dizer só me sai o beijo que te queria dar.

12:06 da manhã  
oasis Blogger Soph said...

Passei aqui hoje pela primeira vez... e apetece-me deixar-te um abraço forte e apertado!

És... tão simplesmente... uma vencedora...

8:51 da manhã  
oasis Blogger Rita said...

Fiquei com um nó na garganta depois de ler o teu post.

És uma mâe coragem.

Beijinhos

Rita

11:16 da manhã  
oasis Blogger Clara Sonhadora said...

Chorei, muito mesmo ao ler.
Posso imaginar, mas não quantificar o que terás passado.
Fico feliz por teres uma menina linda.
Obrigada pela partilha e pela mensagem de esperança.
Há quem dia que Ele tem uns desígnios assim meio misteriosos.
Não creio muito, mas será...
Beijo e abraço

11:49 da manhã  
oasis Blogger Carla Isabel said...

Olá querida

Li e reli...

Chorei e fiquei feliz quando li que agora já tens uma bébe com 2 anos!

Bjs

Carla

12:57 da tarde  
oasis Blogger Adryka said...

Ó querida amiga desculpa n/ ter vindo cá á mais tempo e deixa-te um grande beijo e dizer-te que és uma grande mulher, conseguiste a felicidade novamente, beijinhos amiga e pensa que apesar da dor deves pensar sempre "Deus escreve direito por linhas tortas"já estava escrito que assim teria que ser. Fica bem minha querida.

2:43 da tarde  
oasis Anonymous Alexandra said...

Devo confessar que me senti muito tocada e comovida ao ler as tuas palavras...e algumas lágrimas mais teimosas rolaram pela minha cara...
Há alturas na vida em que achamos que estamos a ser castigados por Deus. O nosso mundo desaba e sentimos que além de esquecidos, estamos a sofrer uma enorme injustiça. Já passei por muita coisa complicada na vida e (infelizmente) sei que ainda vou passar mais algumas. Ao ler estas palavras tiro uma grande lição de vida...Suportar e aprender a viver com a dor da perda, do modo como tu estás a fazer é...indiscritível...
Gostava de ter conseguido aliviar a tua dor, o teu sofrimento...não consegui...Só consegui estar ao teu lado e dar-te a mão...depois, ouvir quando querias falar e estar em silêncio quando precisavas de te "fechar".
Passarm 4 anos...como é possível? Às vezes, como em outras coisas,tenho a sensação que foi ontem. Mas, também foi "ontem" que me ensinaste que "nem tudo é mau" e, como já é hábito, tinhas razão!!!
Há 2 anos e 2 meses atrás, voltámos ao mesmo sítio...para partilhar a maior alegria da tua vida!
Hoje, ela é a prova que não devemos perder a esperança e que devemos lutar...TU és aprova disso!
Não há ninguém com um coração tão grande como o teu, tão optimista, tão lutadora, tão corajosa...
Como tu dizes "Nem tudo é mau", é preciso ver o lado bom das coisas. Espero que todos os que leram estas palavras percebam como é fundamental dar importância às coisas do dia-a-dia, por mais pequeninas que pareçam...podem fazer a diferença entre o bom e o mau, entre os sermos felizes ou infelizes.
Com o que escreveste, conseguiste mostrar a quem não te conhece a tua grandeza de carácter pois, sabes que podes estar a ajudar muita gente.
Eu só consigo dizer: Obrigada por estares sempre lá...e eu estarei sempre lá
Um beijinho
(tu sabes de quem)

3:00 da tarde  
oasis Anonymous dora said...

A mnha gravidez parou às 12 semanas e sei bem como a vida fica vazia. Apesar de sabermos, como ficou claro neste post, que não somos as únicas pessoas no mundo a sofrer um aborto. Mas eu sonhava tanto com aquele bebé que me doeu durante meses. Só agora, um ano depois, é que me sinto pronta a tentar outra vez. Um grande abraço para ti e felicidades para a tua família.

5:26 da tarde  
oasis Blogger B. said...

Só quero agradecer as palavras de conforto.. Mtas vezes pensamos que estamos sozinhas nesta luta desigual que é a perda de um filho e a vida que teima em continuar, sem parar para reflectirmos..
Por outro lado são pessoas como tu que não nos fazem desistir.. E a prova disso é a tua pimpolha linda..
Um beijo GRANDE GRANDE e Obrigada

8:39 da manhã  
oasis Anonymous Anónimo said...

Estava como de costume a percorrer a blogosfera (vício que ficou desde que engravidei do meu 2º filho) quando cheguei a este blog. Chorei imenso uma dor sentida pelo que aconteceu mas também pela perda recente do meu sobrinho com 10 anos... É tão duro perdermos quem amamos ainda mais se desejado e tão amado.
Nunca tive coragem de fazer o meu próprio blog porque leio coisas tão lindas que me sinto incapaz de fazer idêntico.
Obrigada pela partilha, tudo de bom, felicidades para vocês.
Sandy + Guga + Tim

10:15 da manhã  
oasis Blogger Papá Urso said...

arrepiou-me... e ainda bem que agora são apenas memórias que te fazem ser mais forte e dar todo o amor possível à tua filhota.

mtos beijinhos

10:30 da manhã  
oasis Blogger Margarida said...

Também vim cá ter pela Costinhas.
Estou grávida de 11 semanas e tenho uma menina com 32 meses e não consigo imaginar a minha vida sem ela.
Não consigo imaginar a dor que deves ter sentido com a perda do teu bebé, mas fiquei contente por saber que Deus te ajudou na busca do teu sonho.
Desejo que sejas feliz, pois como me foi dadao a perceber pareces ser uma pessoa "bonita".
Votos de felicidade.
Guida

11:20 da manhã  
oasis Blogger Vanessa said...

É perante testemunhos como este que vejo que sou uma parva quando me queixo da vida. Quando fico a remoer traumas que podiam ter sido tragédia mas que até nem são.
Realmente não sei o que passaste, nem quero, nem desejo a ninguém.

Apenas concluo que és uma mulher muito corajosa.

Beijinhos e obrigada por partilhares

PS: estou a ler-te pela primeira vez, também.

3:58 da tarde  
oasis Anonymous Anónimo said...

Olá Sandra, sou a Carina, e é a primeira vez que visito o teu blog, e deparei-me com um texto da vida que me deixou de lágrimas a escorrer pela cara abaixo, infelizmente sei dar valor pq a minha mãe tb perdeu um mano com +ou- 5 meses de gravidez, e ainda hoje falamos dele, apesar de após uns anos ter nascido outro, um não substituiu o outro, mas olha foi o que Deus quis.
Fiquei a admirar-te só pela tua coragem de partilha e vou concerteza visitar-te mais vezes.
Beijinhos e mtas felicidades Carina (carinacsimoes@hotmail.com)

5:30 da tarde  
oasis Blogger MH said...

Também eu aqui cheguei à boleia da outra Sandra (Costinhas). No próximo dia 8 de Outubro faz um ano que eu ía perdendo o meu filho às 20 semanas. Felizmente tudo acabou por correr bem.
Quando finalmente o meu filho nasceu, no Hospital de Santa Maria, chocou-me muito que as mulheres que tinham acabado de perder os seus filhos estivessem no mesmo bloco que nós, as recém-mamãs. Nem conseguia encará-las e parava imediatamente de falar sobre o meu filho com as outras mães sempre que alguma delas entrava no refeitório, por exemplo. Ninguém que não tenha passado pelo mesmo, poderá algum dia entender pelo que passaste. Deus queira que eu nunca entenda. Um beijo muito grande

4:42 da tarde  
oasis Blogger NightWolf said...

Complicado aquilo porque passaste mas são casos como o teu que dão força a muita gente, é bom ver que hoje estas bem e ja consegues tocar no assunto, beijinhos*

12:49 da tarde  
oasis Anonymous ngudi said...

Kika,
tenho dificuldades em imaginar o tamanho da dor ... eu também passei por um aborto mas às 6 semanas. Sofri muito, mas não imagino como seria se ele tivesse vivido dentro de mim 25 semanas.
Obrigada pelas palavras de esperança.

6:04 da tarde  
oasis Blogger Alice said...

Vim aqui por intermédio da Costinhas e quando sinto as lágrimas a quererem vir é por saber o que passaste, por ter um dia sentido esse vazio e saber que ele não desaparece nunca.
Passámos por momentos na nossa vida que ficam para sempre cá dentro.
E fico assim com os meus pensamentos, a pensar no se...
Um abraço enorme.
Alice

7:42 da tarde  
oasis Anonymous Anónimo said...

Estou na 4ª gravidez e ainda não tive a felicidade de sentir um filho nos braços. O teu relato comoveu-me tremendamente, talvez porque nunca consegui traduzir a minha dor em palavras.
Não te consigo explicar, mas depois de ler o teu post, depois de chorar, consegui respirar e sentir outra vez esperança, quase uma certeza, que este bebé vai nascer, vai viver...
O meu sentido e imenso obrigada.
Hanna

11:23 da manhã  
oasis Blogger Ana said...

Sandra,

Cheguei ao teu blog pelo da Costinhas...e confesso que me fizeste chorar.
Nem sei o que te dizer...Nada consola depois de uma dor destas.

Infelizmente as coisas ruins não acontecem só aos outros como nós queremos acreditar...

Um abraço apertado!

12:17 da manhã  
oasis Anonymous mimi said...

Sandra, já tinha vindo algumas vezes ao teu blog, mas nunca comentei.

Desta vez comento para dizer que o teu post me deixou desfeita em lágrimas, toda arrepiada.

Não consigo decerto imaginar a dor que sentiste nem sei bem o que dizer.

Deixo apenas um beijo enorme

4:36 da tarde  
oasis Anonymous sandraramiroalmeida said...

sandra almeida
olá sandra gostaria de partilhar contigo a minha experiencia já´passei pelo mesmo de que tu mas ainda pior em vez de 1 foram 2 a minha martinha no dia23.08.2002 e o meu serginho no dia 30.11.2004 o mundo desabou em cima da miha cabeça mas felizmente também e como tu tive um marido excelente ao meu lado e uma mãe daquelas que já naõ existem neste tempo mas para a agravar a situaçaõ a minha filhota agora com 10 anos a sofrer ao nosso lado. desejo-te as maiores das felicidades ao lado da vossa filhota

12:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home